Podcast: Faces Celestiais de Hekate: Fonte das Almas, Alma Cósmica do Universo, Anima Mundi e Soteira nos Oráculos Caldeus

Essas são as minhas anotações para o episódio do podcast Caverna de Hekate, intitulado "Faces Celestiais de Hekate: Fonte das Almas, Alma Cósmica do Universo, Anima Mundi e Soteira nos Oráculos Caldeus".


Oráculos Caldeus:

Coleção de fragmentos de textos sagrados da era helenística na antiga Grécia e Roma. Hekate aparece em 5 dos 226 fragmentos (mais do que outros deuses/as) e como Alma/Hekate ela aparece em no mínimo 66 fragmentos. Até mesmo trechos de falas de Hekate aparecem em 11 fragmentos.
Os oráculos cáldeos eram considerados mensagens divinas e davam forma a um sistema de crenças da época.

Hekate Soteira:

Fonte das almas do cosmos e dos seres humanos e aquela que conecta o mundo divino e o mundo humano, ela facilita essa comunicação o que leva enventualmente à liberação da alma do indivíduo.
Nessa visão como Soteira, salvadora, ela é vista como celestial e benevolente, ao invés de chthônica (ligada com a terra, submundo) e assustadora.

Conexão entre os mundos:

Hekate está na borda entre o mundo inteligível e o mundo sensível, agindo como barreira e ao mesmo tempo como conexão entre esses dois mundos. Portanto, ela tem essa função de divisora (portal) e mediadora (chave).

Alma Cósmica e Anima Mundi:

As almas individuais dos humanos vêm de uma fonte de almas cósmica e Hekate é considerada como fonte dessas almas humanas. Hekate é responsável por dispensar a alma cósmica e as almas individuais pelo universo. 
"Encontra-se bem no centro do corpo do Cosmos, mas é difundida por todo o corpo de forma a incluir também o corpo do Cosmos; em outras palavras, a Alma onipresente marca ao mesmo tempo o ponto axial em torno do qual o Cosmos é formado e sua fronteira externa."

Fragmento 51:
"Por todas as cavidades da cartilagem do flanco direito [de Hekate],
O líquido abundante da Alma Primitiva jorra incessantemente,
Completando a luz, o fogo, o éter e o Cosmoi."

Fragmento 52:
"No flanco esquerdo de Hekate reside a Fonte da Virtude,
Que permanece completamente dentro, não retirando sua virgindade."

Fragmento 54:
"Rhea é verdadeiramente a fonte e o fluxo das noéticas abençoadas [substâncias]
Pois ela é a primeira de todas no poder e
tendo recebido em seu maravilhoso ventre
Ela derrama uma geração (no sentido de procriação) giratória sobre Tudo."

Alma:

A Alma é composta por um mistura de componentes indivisíveis/que não muda/invisíveis e componentes divíseis/que sempre muda/físicos. O ato mais significante desse processo é a unificação dessas duas partes na mistura final. A Alma é composta e portanto unifica princípios opostos.
A Alma Cósmica tem divisões e proporções harmoniosas que se refletem na matemática, na música, etc, que permitem que o ser humano desenvolva e conheça conhecimentos e opiniões corretas.

Visão anterior de Hekate:

A associação de Hekate com pontos de passagem encruzilhadas, portas e outros locais liminais, já vinha de muito antes e só reforçou a visão dela como Alma do Mundo e Salvadora.
A primeira vez que Hekate é citada na literatura grega é na Teogonia, onde seu papel como mediadora entre os humanos e deuses é exaltado.
No Hino Homérico à Deméter, a breve participação de Hekate é justamente nos lugares  e momentos de transição. Também por ser dito que Hekate estava ao mesmo tempo na frente e atrás de Perséfone, mostra seu papel de guia e protetora.
O que a visão anterior e trazida pelos Oráculos Caldeus têm em comum, sendo o papel essencial de Hekate: Ela sempre está presente em pontos de transição.

Liminais:

Essa conexão entre espaços liminais é tanto figurativa, como guia dos mortos, como concreta no nosso mundo físico, como encruzilhadas e portas. Seu epíteto de Enodia, por exemplo, representa que ela é o próprio caminho, principalmente caminhos que se cruzam - encruzilhadas. Outro epíteto, Propylaia, refere-se àquela à frente da porta, e dizem que muitas casas em Atenas tinham uma estátua de Hekate na porta , chamado de hekataion.
As bordas ao mesmo tempo que pertencem aos dois lugares, não pertencem à nenhum. É como se fosse um limbo caótico, é por isso que esses locais passaram a ser associados com fantasmas e com as pessoas às margens da sociedade.

Lua:

A escola platônica média popularizou a ideia de que a lua é um ponto liminal e de transição entre o mundo inteligível e o mundo sensível, o que influenciou a lua ter ligação com Hekate em algum momento, mas isso foi muito depois que a deusa Ártemis já possuía essa ligação. Outro fator que acredita-se que determinou a ligação de Hekate com a lua é sua ligação com a terra e com o céu, simultaneamente, até por ser considerada filha de Astéria, deusa das estrelas cadentes e das adivinhações noturnas.
Também acreditava-se que a lua era onde os daemones ficavam - uma raça de seres imortais que vigia os humanos, mas que não são humanos e não são divinos, inicialmente acreditava-se que sua natureza poderia ser boa ou má. Tradicionalmente, eram entendidos que os daemones eram almas inquietas que tiveram a entrada ao Hades negada por não terem dito ritos funerários adequados (aqueles que morreram antes do tempo ou aqueles que morreram de morte violenta). Naturalmente, essas almas inquietas se reuniam ao redor de Hekate.

Bruxaria:

A ligação de Hekate com a bruxaria nasce por conta do daemones, já que bruxas e magos precisavam da autorização de Hekate para poder pedir favores aos daemones, já que ela poderia dar passagem para esses seres navegarem dentre os reinos dos vivos e dos mortos. Eles poderiam também falar através de oráculos, atender e participar de rituais místicos e ajudar os humanos em guerra ou no mar. As bruxas e magos precisavam de ter um relacionamento com Hekate para que ela concede-se esses favores dos daemones.

"Strophalos":

Iyns, topo de Hekate, symbola.
Symbola: Algo que facilite a conexão entre o ser humano e uma deidade. Pode ser qualquer coisa, como uma pedra, planta, tipo de incenso, uma palavra/frase mágica, ou até mesmo um som. Symbola poderia ser misturado com o material em que uma estátua fosse feita, poderia ser uma inscrição na estátua, usado pelos teurgistas, falado por eles, etc.
Oráculo de Eusebius há uma descrição por Hekate de como fazer e consagrar sua estátua. Não é claro se essa estátua seria para fins de adoração ou para ser usada como oráculo. 
"Mas faça-me uma estátua, purificada como eu te ensinarei,
Faça o formato com arruda selvagem e adicione pequenas criaturas - lagartos domésticos - como adornos. E amassando com esses animais uma mistura de mirra, goma e olíbano,
e indo lá fora sob a lua crescente,
termine esta imprecação, orando você mesmo.
Tome tantos lagartos quanto minhas formas,
e faça todas as coisas que eu ordeno com cuidado.
Faça uma casa espaçosa para mim com galhos de louro entrançados.
Em seguida, ofereça muitas orações à minha imagem e, durante o sono, você me verá perto."

Psellus (PG 122, 1133a), "Trabalhar o topo de Hekate":
"O topo de Hekate é uma bola de ouro, formada em torno de uma safira, girada por meio de uma tira de couro cru, com caracteres [gravados] por toda parte. Girando, [os teurgistas] costumavam fazer invocações. E eles costumavam chamá-los [topos] 'inges', sejam esféricas ou triangulares ou de alguma outra forma. Girando-os, [os redemoinhos] emitiram sons indiscriminados, ou soam como um animal, rindo e chicoteando o ar. [O Oráculo] ensina que o movimento do topo, tendo um poder inefável, opera o rito. É chamado de 'topo de Hekate' porque é consagrado a Hekate."


Epifania de Hekate:

Fragmentos 147, 146 e 148:

"Se você me disser isso muitas vezes, observará tudo escurecendo,
Pela maior parte curvada dos céus desaparece
e as estrelas não brilham; a luz da Lua está escondida
e a Terra não permanece firme. Todas as coisas são reveladas em raios.

Tendo dito essas coisas, você verá um fogo saltando como uma criança sobre as ondas sombrias;
ou um fogo sem forma, do qual uma voz emerge;
ou uma luz rica, zunindo pelo campo em espiral.
Mas [também é possível] que você veja um cavalo brilhando mais do que a luz,
ou uma criança montada nas costas de um cavalo,
uma criança de fogo ou uma criança coberta de ouro, ou ainda uma criança nua;
ou mesmo uma criança atirando flechas, de pé sobre as costas de um cavalo.

Mas quando você vê o fogo sagrado sem forma,
Brilhando minuciosamente pelas profundezas do Cosmos,
Escute a voz do fogo."

Sugestões de frases mágicas:
As Cartas Efésias ocorrem várias vezes nos Papiros Mágicos Gregos, em encantos que chamam Hekate.
Assim, as duas primeiras Cartas Efésias foram usadas em um feitiço Hekate associado à iniciação (PGM LXX.12) como parte de uma série de voces magicae sendo:
"Askei Kataskei Eron Oreon Ior Mega Samnyer Baui Phobantia Semne."

Mantra de Hekate (autoria desconhecida, porém dada à Aleister Crowley):
"Observe the fire burns without form, hear the voice that whispers from it.
Behold the Soul, Dark Hekate, Numenic, Harmonic, Chaotic, Chthonic."
Tradução livre por mim:
"Observe o fogo que queima sem forma, ouça a voz que sussurra através dele.
Atrás da Alma, Hekate Sombria, Numênica, Harmônica, Caótica, Chthônica."

Voltando aos Oráculos Caldeus:

Os oráculos caldeus foi o primeiro sistema que igualou Hekate e a Alma Cósmica. O papel cosmológico de Hekate como Alma pode ser dividido em três categorias:
1) Transmitir ideias e portanto estruturar o mundo físico;
2) Ligação divisória entre o mundo inteligível e o mundo sensível;
3) Fonte de almas individuais e avivadora do mundo físico e dos humanos.

As almas são geradas no ventre de Hekate e seu ventre ajuda transformar as ideias em matéria estrutural; ela arranja e regula o que era antes um mundo físico sem forma - nutridora das ideias.

Referências e Materiais Complementares:


Faça parte da Comunidade Caverna de Hekate